Aprender Francês com Vídeos #007
Apprendre le Français avec des Vidéos:
Easy French – L’impact des jeux vidéo sur les jeunes

2526
0
SHARE

Bonjour à Toutes et à Tous! Este post faz parte da série “Aprendendo Francês Com Vídeos” que ajuda muito o aprendizado e aperfeiçoamento da língua francesa com recursos áudio-visuais. A memorização acontece de forma automática e sem esforço com estes recursos. É o que eu sempre falo que ver, ouvir e repetir é igual a falar. Simples assim! Portanto, assista o vídeo, veja a legenda, se houver dúvida siga a transcrição e a tradução que já colocamos para vocês se acostumarem com o vocabulário e aprender Francês Fluente de uma forma natural e sem esforço tá bom?! Com os posts Aprendendo Francês com Vídeos, Falar Francês Fluente nunca foi tão fácil! Uma forma de contribuir com os produtores destes vídeos é clicar em “GOSTEI” na reprodução do vídeo. Amusez Vous Bien!!

Flag_of_France.svg

Apprendre le Français avec des Vidéos

Bonjour et bienvenue dans Easy French!
Aujourd’hui, nous allons demander aux gens ce qu’ils pensent de l’impact des jeux vidéo sur les jeunes.
Alors, ce serait pour savoir ce que tu penses de la violence dans les jeux vidéo?
Ah, c’est un, c’est un vaste sujet…

A mon avis, la violence dans les jeux vidéo, c’est surtout un bouc émissaire pous les médias.
A chaque fois qu’il y a une tragédie, à chaque fois qu’il y a un attentat, à chaque fois qu’il y a un meutre ou quoi que ce soit, on ressort toujours ce problème la : les jeux vidéo, les jeux vidéo, les jeux vidéo.
Alors, moi je pense que ceux qui jouent aux jeux vidéo c’est plutôt pour passer du temps.
C’est plutôt un loisir.

Et je pense pas que ça va les rendre malades ou psychopathes.
Et ceux qui sont violents à la base, ils sont violents déjà à la base et ça ça les arrange pas mais je pense pas que ce soit ça qui va les rendre fous, dangereux.
Mais au final, il y a de la violence dans le cinéma, il y a de la violence dans la musique, il y a de la violence partout et c’est pas parce qu’on joue à un jeu vidéo qu’on va forcément être influencé.

Je pense qu’effectivement malgré tout le jeu vidéo est un monde virtuel dans lequel les gens finissent par englober leur vie, et à force de massacrer des zombies, de massacrer des soldats toute la journée, ils se rendent plus vraiment compte que derrière, il y a des vies humaines.
Donc quand ils sortent, il y a un spèce de trop-plein de violence et ça leur semble normal de jouer après, dans la vie réelle à cette violence.

Oui, il peut y avoir effectivement un impact qui peut être assez dangereux malgré tout!
pour des esprits faibles, bien entendu.
D’accord!
Oui!

Alors oui je pense que ça a un impact sur les jeunes.
Faudrait arrêter tout simplement la violence dans les jeux vidéo, dans les films et tout ça parce que…
de nos jours les jeunes vont devenir vraiment tarés, (colloquial) donc ça serait bien d’arrêter tout ça.

Pensez-vous que la violence dans les jeux vidéo peut avoir un impact sur le comportement des jeunes?
Je pense que ça dépend des gens, ça dépend de l’éducation, de la personne, enfin…
il y a des cas à part et il y a des cas…
Dans la norme, non, je pense pas parce que on vit pas dans un monde en danger.

Oui parce qu’après ils deviennent violents même dans la vrai vie parce que pour eux ça devient vraiment la vrai vie.
Donc duc coup ils sont violents verbalement et puis…
Moi, je suis pas d’accord.
Je pense pas que le jeu vidéo, ça doit devenir le bouc émissaire et qu’à chaque fois qu’un psychopathe pète un câble (colloquial), on mette sur le dos des jeux vidéo.

Moi je pense qu’en fait, les jeunes, quand ils jouent aux jeux vidéo, ils ont tendance à se renfermer sur eux-mêmes et à devenir agressifs si on les dérange pendant qu’ils sont en train de jouer, et tout ça tout ça.
Mais, je pense pas que ce soit forcément, que ce soit synonyme de violence.

Oui, mais après ça dépend, parce que si, par exemple, un petit est né avec les jeux vidéo, il va pas réussir à faire la distinction entre la vrai vie et les jeux vidéo.
Donc après il devien violent et pour lui c’est normal quoi!

Est-ce que tu penses que, vis-à-vis du cinéma, la violence dans les jeux vidéo est pas plus mise en avant?
Les jeux vidéo, ce que ça à de plus du cinéma, c’est qu’on joue le rôle.
Alors qu’au cinéma, on est juste spectateur mais…
Après, jouer le rôle, c’est pas pour ça que les acteur dans les films ils vont après sortir de la scène et tuer tout le monde.
C’est sûr!

– Voila, les gens qui jouent aux jeux vidéo et qui après commettent des actes, des meurtres ou des choses comme ça, c’est qu’à la base ils avaient un problème.
C’est pas les jeux vidéo qui vont créer ce problème chez des gens qui n’ont rien du tout.
Donc, du coup, il faudrait un encadrement un peu strict des parents on va dire?
– Oui, voilà!

Ouais, je pense que c’est une affaire de dosage, qu’il faut pas s’y mettre trop tôt et je pense qu’il faut respecter quand même les indications d’âge sur les boites.
– Voilà, Ouais!
Et je pense que les jeux vidéo, ça peut être bien.
C’est un divertissement et les divertissements, c’est toujours bien, ça permet de s’évader et tout ça.

Mais à petite dose quoi!
Donc selon vous, c’est surtout la banalisation on va dire de la violence à l’écran qui a un impact quoi?
Tout à fait, parce que ça peut être les jeux vidéo mais ça peut être aussi des films dans lesquels ils s’identifient à des héros et en fin de compte, à force de banaliser toute la violence toute la journée, effectivement, ça devien quelque chose de normal.

On a toute la journée des médias qui nous montrent des films, enfin, des images de guerre avec des gens qui meurent à longueur de journée.
On a les jeux vidéo qui ensuite prennent dans un monde virtuel des tonnes de mort et tout sans que personne ne soit stigmatisé.

Et puis, les films d’aventure où effectivement là, plus il y a de mort, plus ça gicle de tous les côtés, plus c’est bien, plus c’est sympathique.
Donc, effectivement, j’ai peur que quelque part, on banalise trop toute cette violence.

Oui, ça peut être dangereux.
-D’accord!
Merci beaucoup!
De rien!
Est-ce que tu penses que, la banalisation de la violence, la violence outrancière a tendance à avoir vraiment un impact à notre époque sur les gens?
– Je pense qu’il n’y a pas que les jeux vidéo, il y a aussi des films, quand on voit des acteurs et que c’est nos idoles, non, oui nos idoles, et qu’on veut un peu leur ressembler, on a tendance à faire un peu comme eux.

Et ça, ça peut aussi rendre les gens dangereux.
Ouais, peut-être pour les personnes plus jeunes qui ont toujours baigné dans le milieu de la violence, enfin, qui, depuis tout petits regardent des séries un peu, Ouais, violentes.
Mais je pense que ouais, à partir d’un certain âge, enfin, ça touche plus, Ouais c’est, ça touche plus la personne et voilà!

Enfin voilà, il y a pas que les jeux vidéo.
Et c’est plutôt, enfin, je pense que c’est pour donner une mauvaise image de ceux qui jouent aux jeux vidéo: ceux qui jouent aux jeux vidéo, c’est ceux qui ont pas d’amis, c’est des geeks…
Tous les stéréotypes qu’il y a sur les jeux vidéo du coup?
Ouais, voilà, je pense que c’est plutôt pour donner une mauvaise image d’eux aux autres que autre chose.

Flag_of_Brazil.svg

Aprender Francês com Vídeos

Olá e bem-vindo no Francês Fácil!
Hoje nós vamos perguntar às pessoas o que eles pensam sobre o impacto dos videogames sobre os jovens.
Então, é para saber o que você pensa da violência nos jogos de vídeo?
Ah, isso é um, isso é um grande tema …

Eu acredito que a violência nos jogos de vídeo é sobretudo um bode expiatório para a mídia.
Sempre que há uma tragédia, cada vez que há um ataque, cada vez que há um assassinato ou qualquer coisa, eles sempre vem com esse problema: jogos de vídeo, jogos de vídeo, jogos de vídeo.
Então eu acho que aqueles que jogam jogos de vídeo, é mas para passar o tempo.
É mais um hobby.

E eu não acho que vai torná-los doentes ou psicopatas.
E aqueles que são violentos na base, eles já são violentos na base e isso não os ajudam, mas eu não que é isso que vão deixá-los loucos ou perigosos.
Mas, afinal, há violência nos filmes, há violência na música, há violência em todos os lugares e não é porque nós jogamos um jogo de vídeo que estaremos influenciados.
.

Eu acho que efetivamente todo jogo de vídeo é um mundo virtual em que as pessoas eventualmente abranger as suas vidas, e por força de massacrar zumbis, soldados massacrados durante todo o dia, eles fazem isso sem realmente saber que por trás tem vidas humanas.
Então, quando eles saem, há um estouro de transbordamento de violência e parece que isso é normal de jogar depois, na vida real essa violência.

Sim, pode realmente ter um impacto que pode ser muito perigoso de qualquer maneira!
Para mentes fracas, é claro.
Ok!
Sim!

Então sim, eu acho que tem um impacto sobre os jovens.
Deve simplesmente parar a violência nos jogos de vídeo, filmes e outras coisas porque …
hoje em dia os jovens vão ficar realmente anormais, (coloquial), por isso seria bom parar com tudo isso.

Você acha que a violência nos jogos de vídeo pode ter um impacto sobre o comportamento dos jovens?
Eu acho que depende das pessoas, isso depende da educação da pessoa, enfim…
há um casos a parte e há casos …
Na Norma, não, acho que não, porque nós não vivemos em um mundo em perigo.

Sim, porque depois eles se tornam violentos, mesmo na vida real, porque para eles torna-se realmente a vida real.
Então de repente eles são violentos verbalmente e depois …
Eu discordo.
Eu não acho que o jogo de vídeo, deve tornar-se o bode expiatório e que sempre que um psicopata explode (coloquiais), colocamos nas costas dos jogos de vídeo.

Eu acho que, na verdade, os jovens, quando eles jogam jogos de vídeo, tendem a retirar-se para si mesmo e tornar-se agressivo se perturbado enquanto eles estão jogando, e essas coisas todas.
Mas eu não acho que é necessariamente isso, que seja sinônimo de violência.

Sim, mas depois disso depende, pois, se, por exemplo, se um menino nasceu dentro dos jogos de vídeo, ele vai deixar de distinguir entre a vida real e jogos de vídeo.
Então, depois ele se torna violento e para ele é normal o que!

Você acha que, vis-à-vis o cinema, a violência nos jogos de vídeo é mais destaque?
Jogos de vídeo, o que tem a mais do cinema é que a gente desempenha o papel.
Enquanto no cinema, nós somos apenas um espectador, mas …
Depois de jogar o papel, que não é por isso que o ator em filmes vão depois de deixar o palco sair e matar todo mundo.
Claro!

– É isso, as pessoas que jogam jogos de vídeo e que após cometem atos, assassinatos ou coisas assim, é que na base eles tinham um problema.
Não é jogos de vídeo que vai criar este problema nas pessoas que não têm nada.
Então, de repente, deveria ter um enquadramento mais restrito dos pais a gente pode dizer?
– Sim, é isso!

Sim, eu acho que é uma questão de dosagem, que não se deve começar muito cedo e eu penso que se deve respeitar assim mesmo as indicações de idade nas caixas.
– É isso sim!
E eu acho que os jogos de vídeo, podem ser bom.
É entretenimento e entretenimento é sempre bom, isso permite de escapar de tudo isso.

Mas em pequenas doses o que!
Assim, de acordo com você, é sobretudo a banalização a gente pode dizer da violência na tela que tem um impacto o quê?
Absolutamente, porque pode ser jogos de vídeo, mas também pode ser filmes em que eles se identifiquem com os heróis e, finalmente, para poder minimizar a violência durante todo o dia, de fato, que se torna uma coisa normal.

Nós temos as mídias o dia todo nos mostrando filmes, enfim, imagens de guerra com as pessoas que morrem diariamente.
A gente tem jogos de vídeo que, em seguida estão em um mundo virtual de toneladas de mortes e tudo sem que ninguém seja estigmatizado.
.

E, em seguida, os filmes de aventura onde realmente lá, quanto mais tem morte, mais que escorrega de todos os lados, mais é bom, mais é agradável.
Então, sim, eu tenho medo que de alguma forma, nós banalizamos toda essa violência.

Sim, isso pode ser perigoso.
-De acordo!
Muito Obrigado!
De Nada!
Você acha que a banalização da violência, a violência ultrajante tende a realmente fazer um impacto no nosso tempo sobre as pessoas?
– Eu acho que não é apenas a jogos de vídeo, há também filmes, quando vemos os atores e que os nossos ídolos, não, sim nossos ídolos, e a gente quer se assemelhar um pouco com eles, a gente tende a fazer um pouco como eles.

E isso, isso pode também pode tornar as pessoas perigosas.
Sim, talvez para os mais jovens, que sempre são banhadas em meio à violência, enfim, todas as crianças que assistem algumas séries, sim, violenta.
Mas eu acho que sim, a partir de uma certa idade, bem, isso afeta, sim isso afeta mais a pessoa e é isso!

Finalmente é isso, não é somente os jogos de vídeo.
E é primeiro, enfim, eu acho que é para dar uma má imagem daqueles que jogam jogos de vídeo: aqueles que jogam jogos de vídeo, são aqueles que não têm amigos, são os nerds …
Todos os estereótipos que tem nos jogos de vídeo ao mesmo tempo?
Sim, é isso, eu acho que é bastante para dar uma má imagem de si para os outros que outra coisa.

Genial não é mesmo?! Este é um tipo de trabalho muito eficiente para o aprendizado da língua francesa e eu espero que você tenha gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixe de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim você está ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis!

Merci et à bientôt….

SHARE
Previous articleDicas De Francês #018 – Saiba Mais Sobre Genebra e Suas Riquezas
Next articleAprender francês com músicas #007
Apprendre le français avec des chansons:
Grégoire – Ta Main
Bonjour! Eu sou Brasileiro, e me mudei para Genebra em 2004 sendo o meu único idioma o português brasileiro. Depois de passar por dificuldades financeiras e até mesmo de saúde e, mesmo estudando de forma tradicional com gramática, verbos etc e não conseguir resultados, resolvi criar o meu próprio método de aprendizado. Assim tive resultados extraordinários e em 6 meses eu já estava falando fluentemente a língua francesa. Resolvi colocar em prática o meu método com outros idiomas e em alguns meses eu já falava também o Italiano, o Espanhol e o Inglês. Conclusão: FUNCIONA! Então me candidatei a ser professor voluntário na Universidade de Genebra UOG, para consolidar minha metodologia ensinando pessoas carentes e que necessitavam falar francês: Filipinos, Brasileiros, Bolivianos, Portugueses, Espanhóis, Japoneses,, Chineses, Indianos entre outros. Foi simplesmente indescritível toda cultura e riqueza em cada aula dada. Gratidão de ser o que sou: Professor de Francês para Adultos: A FALA EM PRIMEIRO LUGAR! À bientôt...